A loja virtual de Natal da John Lewis é mais experiencial do que o varejo – mas certamente é divertida

JL Xmas Shop

A temporada de compras de Natal de 2020 será diferente de qualquer outra. Mas a John Lewis está fazendo o possível para recriar a magia com seu tour virtual em sua loja principal em Oxford Street. Quão eficaz é a experiência?

JL Xmas Shop
JL Xmas Shop

A preparação para o Natal em 2020 definitivamente está com expectativa para ser como nenhuma anterior. Mas, no meio de tudo, ainda é a época das festas (isso para quem não acredita  que outubro ainda é muito cedo para pensar no Natal), e isso significa que muitas pessoas estarão procurando por ‘compras natalinas’ e experiências onde quer que possam encontrá-los.

Uma tradição que definitivamente não estará presente em sua forma usual são as compras de Natal. Ah, as pessoas vão comprar coisas – os varejistas estão esperando uma temporada de Natal abundante, especialmente em canais online, com pesquisas da Rakuten Insights descobrindo que 87% dos consumidores não têm intenção de reduzir seus gastos com o Natal este ano. Mas é difícil imaginar que as compras de Natal off-line, com compradores animados e frenéticos lotando shopping centers e lojas de rua enquanto canções de natal tocam incessantemente ao fundo, acontecerão da mesma forma este ano.

Este é um golpe para os varejistas que normalmente dedicariam muito tempo e esforço na confecção de atraentes vitrines de Natal para atrair clientes para suas lojas. É possível recriar essa mesma experiência online?

A John Lewis, que é conhecida por suas exibições artísticas e envolventes de Natal e por sua adesão sincera do espírito natalino, decidiu fazer exatamente isso, revelando um tour virtual por sua loja principal em Oxford Street, enfeitada para o Natal. E embora as experiências virtuais e 3D muitas vezes falhem em se comparar com a coisa real, é possível admitir que esta pode despertar o espírito do Natal (sim, até mesmo em outubro).

Colocando o ‘experiencial’ no ‘varejo experiencial’

A John Lewis tem se voltado cada vez mais para as experiências nos últimos dois anos, como forma de diferenciar sua oferta física e persuadir os clientes a gastar mais tempo e dinheiro com a marca. No ano passado, ela reformou sua loja em Southampton e se tornou um “playground de experiências” com oficinas, aulas e atividades internas: de oficinas de culinária e jardinagem a conselhos de estilo e melhoria da casa.

À medida que a pandemia Covid-19 se espalhava, a John Lewis se adaptava lançando suas experiências virtualmente, oferecendo consultas em vídeo sobre tópicos como estilo pessoal, cuidados com bebês e design de interiores. Mas, embora os serviços se traduzam com relativa facilidade no domínio digital, recriar uma experiência de varejo inteira é um desafio totalmente diferente. Então, quão bem a John Lewis administra isso?

A loja de Natal virtual da John Lewis é facilmente acessível por meio de uma página dedicada em seu site . É possível explorar principalmente em um computador desktop, embora a experiência também seja impressionantemente perfeita (embora menos imersiva) no celular. Na área de trabalho, você pode clicar ou usar o teclado para navegar pelo espaço, enquanto no celular você pode deslizar e tocar para olhar ao redor.

O tour virtual é uma versão interativa totalmente monetizada da loja principal da John Lewis na Oxford Street, completa com placas e adesivos no chão para promover o distanciamento social e estações de higienização das mãos. Você só pode explorar um andar, o que me decepcionou quando tentei navegar em direção à escada rolante e a encontrei isolada. O menu Ajuda menciona um seletor de piso, então é possível que mais pisos possam ser adicionados no futuro (ou talvez seja uma função padrão do software que John Lewis esqueceu de remover as menções).

Deslizar virtualmente ao redor do chão da loja artisticamente decorado e das vitrines definitivamente me deu aquela sensação de alegria natalina. É também uma boa maneira de ter uma ideia da variedade da John Lewis de uma forma que as lojas online, que são mais voltadas para a pesquisa, tenham mais dificuldade de alcançar. Enquanto eu navegava, vários itens chamaram minha atenção, incluindo algumas luzes de Natal estreladas e uma coroa de bugigangas de arco-íris e, embora não seja possível comprar todos os itens diretamente do tour virtual, é fácil abrir o site da John Lewis e pesquisar por eles.

Problemas de interação

Na passagem inicial pela loja de Natal virtual da John Lewis, não fica imediatamente óbvio para como se deve interagir com as coisas. Em retrospecto, talvez as pequenas manchas brancas e azuis espalhadas estrategicamente ao redor devem dar uma pista, mas se termina ficando muito ocupado olhando para todas as cores brilhantes para notá-las.

Parado, verifica-se o texto do site acima dele, que me diz “Clique no botão Ajuda no canto inferior direito da tela”. Este ‘botão’ era na verdade um hiperlink minúsculo próximo aos Termos de Uso (no qual ninguém clica), e ninguém nunca o teria notado se não dissessem onde procurar.

A maior sugestão para John Lewis seria, portanto, tornar o menu Ajuda óbvio, ou melhor ainda, adicionar uma tela inicial com um resumo dos controles principais e uma explicação de como interagir com as coisas. Conforme você navega, uma dica de ferramenta aparece para encorajá-lo a usar o recurso de medição para “medir qualquer coisa no espaço”, mas certamente esse tipo de coisa é secundário para aprender mais sobre os produtos em oferta.

Depois que se aprende a interagir, um mundo de informações se abre. Como dito antes, nem todos os itens no espaço podem ser comprados, mas onde um blob aparecer, você pode selecioná-lo para saber mais sobre a variedade de produtos em questão (de mesas de jantar a guirlandas de Natal) ou um dos temas de John Lewis gamas, como Art of Japan (a gama de Natal de inspiração japonesa), Pop Art (que era responsável por todas as bugigangas do arco-íris) ou Renaissance (uma gama tradicionalista inspirado por 14 th – 17 th século Europa).

Cada caixa de informações contém um link para o site da John Lewis para comprar a linha, proporcionando uma maneira conveniente de encontrar produtos que possam ter despertado seu interesse, sem precisar procurá-los.

Também foi experimentada a ferramenta de medição mencionada anteriormente, que afirma medir com precisão a distância entre dois pontos quaisquer na loja. Embora seja uma excelente ideia em teoria que poderia ajudar a compensar por não ser capaz de avaliar o tamanho dos itens pessoalmente, achei um pouco equivocada na prática.

Parece ser mais preciso quando você pode ampliar bem perto de um item, o que pode ser difícil de fazer, e não há uma maneira real de saber se a medição que você obteve está correta. Foi experimentado primeiro em uma árvore de Natal e descoberto que a altura da medição diminuía conforme se movia acima de um certo ponto, o que não parecia certo. Houve mais sucesso medindo uma vela em uma mesa; Em seguida, foi experimentada a ferramenta no celular, onde ela informou que a mesa de jantar que estava medindo tinha cinco metros de comprimento. Girando minha visão da loja, vi que o ponto final da linha havia pousado não no final da mesa como parecia, mas no meio do chão a alguma distância.

Em última análise, não é o tipo de coisa que se esperara que funcione perfeitamente, e se o cliente estivesse no mercado para comprar uma mesa de jantar na loja virtual de Natal da John Lewis, teria verificado duas vezes as medidas no site primeiro. Se não fosse pelo pop-up alertando sobre a existência da ferramenta enquanto se explora o tour, provavelmente não seria tentado.

O veredito

Deixando de lado alguns problemas com os controles, é muito positiva a experiência de navegar pela loja virtual de Natal da John Lewis. Visualmente, é muito impressionante, sem falta de detalhes artisticamente monetizáveis quando você aumenta o zoom nos produtos – apenas o teto fica um pouco embaçado em alguns lugares conforme você inclina a câmera para cima.

Ele consegue capturar um pouco daquela “experiência” indescritível que tantas vezes se diz que falta nas compras online e, embora a coisa toda parecesse mais ver vitrines ou navegar em uma galeria do que uma viagem de compras real, também é possível sair  melhor informado sobre a Gama de Natal da John Lewis e com um plano para procurar um conjunto de luzes de Natal estreladas.

Sim, a experiência fica um pouco melancólica por não ser capaz de explorar a realidade completa – mas há muito a ser dito sobre não ter que lutar no meio da multidão na Oxford Street para chegar lá.

FONTE: ECONSULTANCY

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
×